10 de ago de 2009

Padrões

Reli reflete sobre como é difícil mudar certos padrões. Sabemos como queremos ser, entendemos racionalmente o que é certo fazer mas dentro de nós tem um sentimento arraigado que aparece em nossa expressão quando tentamos esconder. Aparece em uma alfinetada discreta, num sorriso amarelo. Reli tenta entender bastante pra mudar, mas se percebe dando voltas e voltas. O ideal seria viver só, mas quem aguenta. De tudo Reli já fez. Vários tipos de terapias, rezas, espiritismo, seichonoie, psicologia, astrologia, tarots e runas e i chings, constelação familiar...E o sentimento continua pulsando. Mas como a vida não para e Reli não aguenta se lamentar por muito tempo, sua nova descoberta é a Yoga. Quem ler essa reflexão pensará que isso não é novidade pra ninguem há tempos. Mas pra Reli é. Pelo menos na nova leitura que reli está tendo. Reli sempre usou pesos pesados, então, essa mudança é radical. Mas Reli mudou radical há 6 meses. Mudou de cidade e casou. Com essas mudanças veio a Yoga. Mas a leitura de Reli está sendo diferente. Reli descobriu que Yoga é mais que um alongamento. è uma meditação. São porturas que alinham os chacras. E com elas a respiração. Como já disse, Reli sempre usou pesos bem pesados, seu corpo é forte mas é bem travado. Reli diria "torto". Fazer essas posturas já é bem difícil pra uma "torta", ficar na postura é quase impossível, ter de respirar é insanidade total, e ainda por cima encontrar um momento de prazer na postura. É loucura. Mas como diz Osho, só uma grande loucura que nos desestabilize pode nos tocar. E Reli se sentiu tocada. Parece que era o seu momento porque Reli já tentou a Yoga anos antes. Reli descobriu que é meditação, porque são tantas ações no corpo pra pensar que é um momento que se passa consigo mesma sem pensar em nada mais que esse alinhar. E melhor. Muito raramente acontece de você fazer uma ação nessas posturas que puxa outra e outra e você por segundos se sente alinhado ou descobre algo novo em seu corpo e ainda respira. São segundos de um vislumbre de algo estranho mas bem bom. E nas leituras se diz que esse momento sem pensar em mais nada é revelador. E Osho diz que se nada deu certo, quem sabe o que não pode ser entendido e toca profundamente dá. Reli reflete ultimamente sobre essa nova porta. Reli não refletira nesse texto sobre as invertidas. Essas merecem um texto só delas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário